Sala de Imprensa

Notícias

Oi implementa backbone óptico no Mato Grosso com tecnologia Padtec

A Oi ampliou, em 2015, sua rede de fibra óptica em 570 quilômetros no estado do Mato Grosso, criando uma rede de 2.600 quilômetros com tecnologia DWDM nacional, em parceria com a brasileira Padtec. Com a tecnologia, a companhia ampliou significativamente a capacidade de transporte de tráfego para a região, beneficiando 39 cidades nesse estado. Baseada em anel óptico com tecnologia DWDM (Dense Wavelength Division Multiplexing), a rede suporta, de forma protegida, capacidade de 100 Gbit/s e contém tecnologias avançadas de amplificação óptica, que permitem a conexão entre cidades separadas por distâncias muito longas.

Ao longo dos últimos anos, a operadora brasileira Oi tem priorizado investimentos em suas redes para melhorar a qualidade da oferta de serviços aos clientes em todas as regiões do país. O backbone óptico de alta capacidade ilumina um trecho que interliga a capital Cuiabá à região Norte do Estado, onde algumas cidades eram atendidas por conexões via rádio e agora passam a dispor das soluções sobre fibra.

A nova rede DWDM emprega transponders de última geração com tecnologia ROADMs (Reconfigurable Optical Add-Drop Multiplexer), que permitem alta disponibilidade, escalabilidade e fácil gerenciamento e aprovisionamento dos serviços, garantindo alto desempenho para atender o crescente consumo de dados nos próximos anos. “O anel óptico de Mato Grosso proporcionará às cidades atendidas uma rede de alta velocidade, maior resiliência, sendo um grande avanço nos serviços de transmissão de dados e voz na região”, afirma Luiz Augusto Pereira Lopes, diretor de Planejamento e Projetos de Rede da Oi.

O destaque do projeto se dá no enlace entre as cidades de Brasnorte e Sapezal, no norte do estado de Mato Grosso, com distância total de 240 quilômetros. Esse enlace, dimensionado para suportar velocidades de 100 Gbit/s, é equipado com amplificadores ROPA (Remote Optical Pump Amplifier), desenvolvidos para atuar em trechos de ultralonga distância nos quais não é possível a construção de estações de regeneração intermediária. A solução inovadora oferecida pela Padtec contribui para redução de custos relativos à implantação e manutenção de estações no sistema óptico de longa distância da Oi.

Outro grande desafio, devido às dificuldades de acesso e correnteza do Rio Juruena, foi construir um cabo óptico subaquático (sob o leito do rio), com extensão de 1.300 metros, interligando as cidades de Nova Monte Verde e Juruena ao norte do estado de Mato Grosso.